Rápidos segundos

Ardem-me as mãos. Dormentes os pés de caminhar por caminhos errados cheios de um chão de cardos e rosas murchas e abandonadas. São rosas, ninguém quer saber. Estão murchas. São velhas. Caminhos de alcatrão escaldante, negro plástico, que se cola e queima. Caminhos desfeitos em mil pedaços de pedras duras e cortantes. A cabeça é mas não é a mesma. Entrou em órbita, encheu-se de uma via láctea vazia de opiniões, de certezas, de saberes. Ainda assim, cheia disso mesmo e cada vez mais. Olho à volta e vejo o que não quero ver. Ouço o que grita aos ouvidos. Sinto que está tudo a ficar louco. Mas ninguém quer saber. O coração, esse está cá. Quais são os significados das palavras? Das mais idolatradas, belas, das mais rudes e odiadas? Onde estão os sentimentos que outrora via neste e naquele? É tudo rápido. Tudo se faz, tudo se diz, nada se faz, nada se diz. E o que se sente? Os rostos, as palavras, os olhares escondem-se nas máscaras que preferia não ver. Queria ser mais ignorante, o caminho custava menos assim. Gosto de montanhas russas. Cansam-me as de segundos, quando olho este e aquele e vejo o que não queria ver. é isto, é aquilo. Acha-se isto, acha-se aquilo. Tenho fome da verdade, do sonhado, do que é real. Mas o que é real agora, deixa de o ser em segundos. E os sonhos para onde vão? O mundo não pára, mas nós temos essa capacidade. Vomito as pessoas de agora. Cuspo na estupidez dos inteligentes. Estou farto dos adjectivos e nomes nos quais o mundo insiste em viver. Sei, já há muito que aprendi esta linguagem que se alastra por aí. Conheço-a. Uso-a, que remédio. Mas não faço dela condão.

10 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

*Ardem-me as mãos. Dormentes os és de caminhar por caminhos errados cheios de um chão de cardos e rosas murchas e abandonadas.

*Onde estão os sentimentos que outrora via neste e naquele?

*Os rostos, as palavras, os olhares escondem-se nas máscaras que preferia não ver. Queria ser mais ignorante, o caminho custava menos assim.

*Cansam-me as de segundos

*Tenho fome da verdade, do sonhado, do que é real. Mas o que é real agora, deixa de o ser em segundos. E os sonhos para onde vão? O mundo não pára, mas nós temos essa capacidade. Vomito as pessoas de agora. Cuspo na estupidez dos inteligentes. Estou farto dos adjectivos e nomes nos quais o mundo insiste em viver. Sei, já há muito que aprendi esta linguagem que se alastra por aí. Conheço-a. Uso-a, que remédio. Mas não faço dela condão.

*************

Divino, Graduated Fool.

Espero que a vida te leve e aos que sentem assim (eu também, claro)
ao naufrágio de uma praia onde finalmente se sente a paz e reencontra a comunhão por ora estranha, confusa e febril.

Abraço

X disse...

Ai, o desencanto... Como lidar com ele? Também não sei.

pinguim disse...

Sempre te conheci assim, e também estou habituado (bem) a que comuniques assim os teus estados de alma.
Abração, amigo.

Rui disse...

UAU é só o que digo, UAU!

Paulo disse...

também queria ser como a pobre ceifeira que canta do Pessoa. mas não adianta. a consciência dos sentimentos é qualquer coisa de avassalador. saber que o coração continua no peito já é muito bom! e sobreviver aos sonhos também, porque os sonhos às vezes são uma enorme desilusão!

abraços

PEDRO PINA disse...

de mãos e pés bastante dormentes...ainda me pergunto o verdadeiro significado das palavras...mas ainda acredito k exista um verdadeiro significado...

Suspeita disse...

E quem escreve assim está, certamente, inspiradíssimo ... Adorei!

Beijinhos

Fátima disse...

Voltei de férias e li este texto fantástico quando entrei aqui neste canto que adoro visitar.
Um texto fantástico de alguém fantástico de quem tenho muitas saudades.
Já voltaste do Kruger? Quero saber tudo, fotos, aventuras tudo...
E hoje fico a saber onde fico colocada, acho que é hoje, sabes alguma coisa? Hoje, amanhã?
É uma vergonha os resultados sairem tão tarde, mesmo no final de Agosto.
Um beijinho grande, lindo.

ψ Psimento ψ disse...

Um momento só teu mas que como sempre nos conseguiste transmitir… Um abraço. :)

Brama disse...

Mas então deixaste morrer este blog para serve??? Pode uma coisa destas ...