25 - 40

- Eu não funciono assim.
- Assim como?
- Eu não sei responder a isso assim.
- Então, mas é uma pergunta simples.
- Achas? Honestamente, acho mesmo que é uma pergunta muito complicada e com uma resposta ainda mais complicada.
- Então?
- Perguntas-me se quero que sejamos amigos. As amizades criam-se, cimentam-se, desenvolvem-se... não é decidir se duas pessoas começam a ser amigas e pronto.
- Mas eu disse-te que procuro amizades verdadeiras. É por isso que tenho páginas em vários sites da net.
- Sim, mas as pessoas não começam a falar e, de repente, decidem se vão ou não ser amigas. Não é como provar uma peça de fruta e decidir se se gosta ou não. Até isso, às vezes, não é assim fácil quanto mais duas pessoas que mal falaram. Nem na escola primária eu ia nessas cantigas do "queres ser meu amigo?" vindo de muito pouco.
- Sim, mas gostei de ti, da tua onda.
- Sabes lá tu como é a minha onda, em que onda estou no momento, se amanhã a minha onda é esta ou apanho outra...
- Oh pá mas há um feeling... e pareces mesmo ser boa onda.
- Pareço, mas não sabes isso assim. Além disso daqui a uns meses não podíamos mais ser amigos.
- Então porquê?
- Simples. No teu perfil dizes que procuras amizades, sexo e sexo em grupo com pessoas entre os 25 e os 40 anos.
- Tu tens 40, por isso...
- Sim, mas daqui a meses faço 41. Portanto deixo de interessar, já sairei desse limite. Agora interesso, depois já não.
- Oh, aquilo está lá por estar. É que não gosto muito de velhos e de putos novos.
- Isso é ridículo, desculpa. Há pessoas com 20 anos que são bem mais interessantes a vários níveis do que pessoas com 35 anos. E há pessoas com 50 anos que são bem mais fascinantes do que gente de 30. Desculpa mas acho isso dos limites de idades uma parvoíce.
- Oh pá, no fundo não ligo muito a isso das idades. E estava também a pensar na questão do sexo.
- Pior ainda. Então pessoas com 25, 30, 35, 40 anos podem ser atraentes e com 20, 23, 42 ou 50 já não são? Com um gajo de 39 ou 40 anos vais para a cama, com um de 42 já não? E em grupo... um deles tem menos de 25 e já não te interessa?
- Oh pá, pus lá aquelas idades por pôr. Não ligo mas acho que devemos estabelecer limites.
- Ah e a idade é o padrão de referência para a selecção de pessoas para se ter sexo, para amizades, o que for? Já pensaste que se me viesses a conhecer daqui a meses... eu já teria ultrapassado esse limite? Será que seria assim tão diferente do que sou hoje? Provavelmente nem te terias metido comigo por eu ter mais de 40 anos. E sabes, um dia depois, após a meia-noite, supostamente, já temos outra idade. Aí já não interessava. Escolher pessoas por limites de idades é diferente de escolher uma casa entre t1 e t3.
- Pois... oh pá, tu és muito complicado.
- Sim, talvez.
- Complicas muito.
- Sim, e então? Já não vamos ser amigos, é?
- Não queres?
- Oh rapaz, já te disse que não funciono assim. Podemos vir a ser amigos ou não.
- Pois... não sei... Eu procuro gente descontraída, que vive a vida na boa, descomplicada, sem paranóias na cabeça. Quero é curtir a vida sem pensar muito nas cenas.
- E querias tu ser meu amigo?
- Não és assim, não é?
- Umas vezes sim, outras não. Tens 37 anos, certo?
- Sim. Porquê?
- Porque aqui o complicado, quase de idade ultrapassada, acabou de provar o que te disse anteriormente.
- Não percebi...
- Que a idade das pessoas não passa de uma mera referência. As excepções são muitas e interessarmo-nos por pessoas entre X e X idade, para sexo, amizades, o que for, enfim... Já pensaste que esses teus pontos de vista há muita gente com 20 anos que os tem, outros com 45, outros com a tua idade os acham ridículos. Já pensaste que querer amizades à pressão, mal conhecendo as pessoas, e usar um critério de idades pode ser algo um bocado infantil, sem grande sentido?
- E és um bocado convencido, não és?
- Sim, sim, sou muito. Já o era aos 20, aos 30, agora aos 40. Pode ser que aos 41 já não seja. Depende da onda. Mas aí já sou cota, já não te interesso.
- És mesmo parvo, livra!
- Pronto!
- Amigos?
- Logo se vê.
- Sexo?
- Não.
- Então o quê?
- Não entendeste nada.

9 comentários:

A... disse...

Credo, fizeste-me lembrar o curtíssimo tempo em que estive inscrito num site do género...
Soa tudo falso e forçado, quando entram em contacto connosco ficam logo convencidos que vai dar tudo bem e se dizemos não passam-se dos carretos... desisti disso, pois prefiro processos mais naturais.

Abraço

Rui disse...

Uma pessoa que coloca em sites como no gaydar que procura amizade ou sexo ou sexo em grupo com pessoas entre 25 e 40 anos ou outros intervalos de idades só pode estar a brincar e não percebe o ridiculo. Dão-me sempre pena ou vontade de rir.
E pior ainda é quando depois disto na mm página falam de sentimentos, de que a personalidade é mto importante nos outros, etc... Assim se apanham os verdadeiros interesses das pessoas, basta olhar com olhos de ver. Falam, falam mas na realidade é pura ficção.
Eu também não me imagino a ter alguma coisa mais ou menos séria, nem sexo com um puto ou uma pessoa com 70 anos, mas nunca se sabe. E quem quer sexo, uma amizade, ou uma relação, qual é a diferença entre os 24 ou 25, ou os 40 ou 41?
Esses limites só fazem sentido em cabeças com limitações estupidas ou perturbadas.
Já mandei um tipo para o alho pq me disse que se eu tivesse menos 2 anos é que seria bom, como se eu com menos 2 anos fosse muito diferente.
Isso chama-se preconceito e do mais estupido.

pinguim disse...

A idade é como o tamanho, interessa relativamente pouco...
Abraço.

fátima disse...

Este texto simples é muito pertinente e tem muito que se diga.

Mais uma vez a pressa das pessoas em tudo. No dia a dia, no trabalho, nas amizades, no querer ser belo, ter um belo corpo, em tudo. é doentio. Tudo querem e de tudo se fartam. E quando não querem tudo, seleccionam das formas mais incríveis os que os rodeiam, aqueles com quem se querem envolver, criar amizades, etc.
Sou totalmente a favor da selecção daqueles que nos rodeiam e com quem nos relacionamos mas os critérios são bem outros.

Como é que as mesmas pessoas que acham estranho, indecente, horrível e tanto criticam a sociedade por esta achar que 2 homens não podem casar, depois essas mesmas pessoas acham normal estabelecer idades para amizades ou sexo?
É hipocrisia, penso eu.

Parece-me muito mais difícil convencer pessoas educadas numa sociedade onde a heterossexualidade predomina há séculos de que 2 pessoas do mesmo sexo se podem amar e querer casar do que estabelecer limites de idades para sentimentos por outrem.

Não tem lógica limitar quem casa com quem, mas já tem lógica limitar relacionamentos fisicos, amorosos, em termos de amizade, pela idade?

E sabes bem que sou completamente a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo,mas acho triste que as mesmas pessoas depois pensem assim.

E se por hipotese este texto se passou contigo e não é mais uma das tuas imaginações, então digo-te que adoro a pessoa complicada que és, simplesmente adoro. E sinceramente muito mais do que complicado, acho que és uma pessoa muito observadora, muito perspicaz, de uma inteligencia e sensibilidade enormes e que vê bem as coisas que se passam à nossa volta.
E para terminar odeio pessoas que simplificam tudo e que estão na boa com tudo.

Emanuel disse...

bem...confesso que mais para o fim que ele tinha 37 anos...caramba...mas caramba mesmo...já tem idade pa ter juizo como costumo dizer...enfim...sem pachorra...
Mas concordo exactamente com o pinguim...:-D

Brama disse...

20 valores.

Até acho normal procurar só e apenas sexo, ainda que critérios como: olhos verdes, 1,70m, corpo atlético, represente milhares de pessoas, umas com graça, outras sem graça nenhuma.
O critério da idade é absurdo muitas vezes ou grande parte delas.

Mas o que é mesmo absurdo é procurar amigos na net. Não quer dizer que não possa acontecer, acontece às vezes mas segundo um processo espontâneo, natural, nunca imposto à partida.

Bem, a não ser que o conceito de amigo dessa gente seja outro.

Sim, no fundo nós é que somos muito complicados, está decidido. O pessoal quer é leveza, curtir a vida descomplicadamente, gente sem paranóias e, de preferência, sempre sem queixas. Da mesma forma como tratam com leveza a vida, também o fazem nas relações com os outros (tudo muito leve e azul)e ... por extensão (porque não !!!) com os conceitos.Para quê tratar com tanto formalismo, o amor, a amizade, a dedicação, a sinceridade, a honestidade !!! Tratemos os conceitos com leveza, afinal isto é tudo uma irmandade e os gays são tão alegres.Da mesma forma que somos amigos chegados num minuto, deixamos de o ser na semana ou no mês seguinte.

Quanto mais avanço na idade, menor tolerância tenho para certas coisas, incluindo formas de estar absurdas e avaliações ilógicas das relações humanas, como a que esta conversa que criaste exemplifica.

Brama disse...

O comentário da fátima está certíssimo.

Eu não odeio pessoas que simplificam tudo e que estão na boa com tudo. Estas pessoas muitas vezes ajudam a refrear a tensão e acalmam-nos e são óptimas para pessoas que, facilmente entram em efervescência, como eu.

Gosto delas quando percebo que são inteligentes.

Já não gosto nada,quando percebo que toda essa tranquilidade é sinónimo de ignorância e superficialidade ... ou brasileirismo (pronto, assumo o preconceito !!!)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Logo vi que era no gaydar. Confesso que pessoas há que (também) procuram qualquer coisa que nao sexo, mas tal como se costuma dizer, aquilo é um talho. Nao podemos medir todos por igual, mas encontrar a 0,0000000001n pessoa que faza excepçao, é mister.

Os argumentos apresentados costumam ser: nalgum sitio tenho de "procurar". O que mais me convence é: "se eu passei por lá, outro como eu poera passar". DE facto isto convence-me. Deviam haver sites em que as pessoas nao fossem tomadas como carne...

Abraço

TheTalesMaker disse...

Ainda que haja muita coisa que não me agrade neste tipo de sites, algo é certo. Também através deles se criam amizades.
Embora a troca virtual de palavras não obrigue a uma necessária relação de amizade, o facto é que algumas se iniciam através do mundo virtual.
Por isso mesmo agradeço que existam. Foi através de um site deste género que por exemplo te conheci e foi através deste nosso início de amizade que hoje em dia tenho em ti um grande amigo que me permitiu por sua vez juntar-me a um "grupo" de amigos que adoro.